A articulação envolvendo Sarney e uma vaga no TCU

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), teve encontro reservado com ex-presidentes da Casa, nesta semana, antes de um ato em homenagem a José Sarney (MDB).

Além do próprio Sarney, Pacheco recebeu, no gabinete da presidência do Senado, seus antecessores imediatos no comando da Casa: o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) e o ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE).

O encontro durou cerca de 30 minutos. Segundo apurou a coluna, eles conversaram sobre amenidades e temas gerais de “Brasil e democracia”. Quem conhece o quarteto, porém, diz que também houve conversa sobre política.

Nos bastidores, senadores governistas têm buscado o apoio de Sarney para convencer o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Raimundo Carreiro, que é ligado ao ex-presidente, a se aposentar antecipadamente.

Carreiro tem 72 anos e pode ficar na corte até 2023, quando completará 75 anos. A vaga dele no TCU é de indicação do Senado. A ideia dos governistas seria emplacar o senador Antônio Anastasia (PSD-MG) como substituto de Carreiro.

Também ligado ao ministro do TCU, o senador Renan Calheiros (MDB-AL), contudo, é contra a articulação. O MDB sonha em retomar a presidência do Senado em 2023. Se isso acontecesse, a sigla poderia indicar o substituto de Carreiro. (Metrópoles)

Deixe uma resposta