Audiência pública mostra os possíveis impactos da privatização da Eletrobrás e Eletronorte

Na Câmara Municipal de Presidente Dutra ontem (30/10), foi realizado a segunda audiência pública em Defesa da Eletrobrás e da Eletronorte, estiveram presentes representantes do Sindicato dos Urbanitários, da OAB, o prefeito Juran Carvalho, presidente da Câmara Ronaldo Melo.

Durante a audiência pública, o deputado estadual Ciro Neto (PP), criador da Frente Parlamentar em Defesa da Eletrobrás e Eletronorte, se posicionou mais uma vez contra a privatização “Nós acreditamos que a privatizações, da forma que está sendo feita, não é benéfica para o nosso país, não é benéfica para o nosso sistema econômico” afirma o parlamentar.

Ainda de acordo com o deputado Ciro Neto, “Nós devemos nos proteger o setor energético, que é um setor de base, é um setor estratégico para o desenvolvimento do nosso país”.

Sobre os reflexos da audiência pública na Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão, realizada na ultima quinta-feira (23/10), o parlamentar completou que encaminhamentos serão feitos para Brasília, “Quem vai finalmente definir a privatização, é os nossos deputados federais e senadores, nós também estamos encaminhando esses anseios para nossa bancada federal, e também para o Ministério de Minas e Energia, com o intuito de mostrar, que o Maranhão é um estado que faz parte da Amazônia Legal, está se manifestando contra a privatização”.

Contra a privatização

O movimento vem ganhando força desde a audiência pública realizada na última quinta-feira (23), na Assembleia Legislativa, onde estiveram reunidos, profissionais da área, técnicos, representantes sindicais, representante do Ministério do Trabalho, de vários estados do Rio de Janeiro, Tocantins, Brasília.

De acordo com Carlos Alberto Jordão, representante do STIU (Sindicato dos Urbanitários do Maranhão, “Nós estamos fazendo essa audiência pública como continuidade da realizada na ALEMA semana passada, estamos agendando também uma para Imperatriz, justamente com esse objetivo, de mostrar para a população os impactos que vão ser gerados com a privatização da Eletrobrás”.

Deixe uma resposta