Carlos Lula participa de audiência pública com Senado Federal e destaca medidas urgentes para combater a pandemia no país

O presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, participou nesta quinta-feira (22) de uma audiência pública com a Comissão Temporária Covid-19 do Senado Federal, que discutiu a situação dos estados e municípios no combate à doença.

No encontro, realizado através de videoconferência, o gestor explicou à comissão de senadores sobre o panorama atual da pandemia no Brasil e listou 11 medidas urgentes que o país precisa adotar para conseguir conter o avanço da pandemia.

“Entre as medidas que precisamos tomar de forma mais urgente, posso destacar algumas como garantir a existência de vacinas para imunizar a população; resgatar a autoridade sanitária do Ministério da Saúde, em sintonia com os gestores estaduais e municipais; diligenciar, por todos os meios, o abastecimento de medicamentos e oxigênio; providenciar a compra e a distribuição de testes antigênicos a estados e municípios para aumentar a capacidade de testagem e consequente monitoramento dos casos positivos e de seus contatos; entre outras”, afirmou Carlos Lula.

As medidas foram elogiadas pelo presidente da comissão temporária da Covid-19, o senador Confúcio Moura (MDB-RO). “Foram 11 proposições inteligentes que serão analisadas e apoiadas por parte do senado federal”, destacou o presidente da comissão.

Em sua fala, o presidente do Conass mostrou preocupação com a situação epidemiológica do país. “As novas variantes têm afetado de maneira muito mais grave a população mais jovem, de modo que ainda estamos estabilizando a doença em um patamar muito alto de internados e deve continuar com um número muito grande de óbitos”, afirma.

Medidas 

Confira as medidas sugeridas pelo presidente do Conass e secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, para a contenção do avanço da Covid-19:
1 – Garantir a existência de vacinas para imunizar a população;
2 – Resgatar a autoridade sanitária do Ministério da Saúde, sintonia com os gestores estaduais e municipais;
3 – Diligenciar, por todos os meios, o abastecimento de medicamentos e oxigênio;
4 – Providenciar a compra e a distribuição de testes antigênicos a estados e municípios para aumentar a capacidade de testagem e consequente monitoramento dos casos positivos e de seus contatos;
5 – Agilizar um plano nacional de comunicação, insistindo sobre a importância do uso de máscaras, da lavagem das mãos e do álcool em gel, entre outras medidas;
6 – Determinar a suspensão total de cirurgias e de outras internações eletivas, que não representem ameaça à vida dos pacientes, pelos próximos 60 dias;
7 – Garantir o fornecimento de EPI a estados e municípios, além de seringas e agulhas para a vacinação;
8 – Apoiar, de forma enfática e sincrônica, através de todas as Secretarias do Ministério da Saúde, a implantação do Guia Orientador para o Enfrentamento da pandemia na Rede de Atenção à Saúde;
9 – Apoiar estados e municípios na disponibilização de meios para a capacitação de profissionais de saúde, em especial para atendimento em unidades de terapia intensiva;
10 – Fortalecer os sistemas de informação do Ministério da Saúde, permitindo o acompanhamento da evolução do uso dos leitos, de forma integrada a estados e municípios;
11 – Buscar a garantia de aporte dos recursos financeiros federais, sejam do Orçamento da União, ou de fonte extraordinária, que permitam a continuidade do enfrentamento à pandemia e o próprio funcionamento do Sistema Único de Saúde, em todas as suas dimensões.

Deixe uma resposta