Contra a crise, Flávio Dino sugere investimentos estatais e fim do teto constitucional de gastos

‌O governador do Maranhão, Flávio Dino, fez uma série de sugestões, nesta terça-feira (10), para o combate à crise econômica que abalou as bolsas do planeta nesta segunda-feira. Dino lembrou que “na crise mundial de 2008, o governo Lula respondeu com obras de infraestrutura para movimentar a economia e gerar empregos”.

Além disso, o governador sugeriu também a remoção imediata de “obstáculos ideológicos a investimentos”.‌

Dino afirmou também que “o teto constitucional de gastos deve ser suspenso, ao menos temporariamente”.

“Na crise mundial de 2008, o governo Lula respondeu com obras de infraestrutura para movimentar economia e gerar empregos. O momento exige mobilização do BNDES e dos Fundos Constitucionais nessa direção, com participação dos Governos Federal e estaduais.

O cardápio de obras deve priorizar: conclusão de obras federais paradas; recuperação de estradas federais; obras que gerem ou dinamizem investimentos privados; construção de habitações.

Outra medida importante é remover imediatamente obstáculos ideológicos a investimentos. Por exemplo, retomar o Fundo Amazônia. E as filas do Bolsa Família e do INSS devem ser zeradas com urgência, para animar o mercado interno em regiões e segmentos que mais precisam.

Creio que o teto constitucional de gastos deve ser suspenso, ao menos temporariamente. Os números do micro-PIB nos últimos anos sugerem uma reflexão mais profunda, especialmente sobre o papel de investimentos públicos em momentos excepcionais como o que vivemos.” Revista Fórum

Deixe uma resposta