Efeito eleitoral do Auxílio Brasil para Bolsonaro passou, diz Flávio Dino

Do UOL – O ex-governador, Flávio Dino (PSB), que vai ajudar na articulação da campanha do ex-presidente Lula (PT) no Maranhão, acredita que o efeito do aumento do Auxílio Brasil para R$ 400 já foi assimilado pela população do Nordeste e não deve mais ter efeito positivo para as intenções de voto no presidente Jair Bolsonaro (PL).

A avaliação de Dino é que o aumento do benefício pode ter tido algum impacto positivo para Bolsonaro, mas que não será sustentável por conta do cenário de inflação em alta.

“O aumento para R$ 400 já foi assimilado e ele conseguiu melhorar um pouco a posição dele no Nordeste sobretudo por isso, mas ele dá com uma mão e tira com a outra. O povo sente o preço da comida, da gasolina”, disse à coluna.

Segundo Dino, as possibilidades de Bolsonaro conseguir uma “virada espetacular” no Nordeste em relação a Lula são muito remotas. “Ele não tem bala de prata. O que tinha que sair (de reação) já saiu”, afirmou.

Para o ex-governador, o que vai restar ao atual presidente será continuar a falar com os segmentos mais extremistas, numa repetição da agenda de campanha de 2018.

“E eu não acredito que truque velho vá funcionar, porque hoje a demanda é outra. A pauta principal vai ser a economia”, disse.

O ex-governador também acredita que durante a campanha a atuação de Bolsonaro na pandemia será alvo de críticas. “Ele tem falado na luta do bem contra o mal. E é. Ele é o presidente que riu das pessoas que estavam morrendo com falta de ar”.

Campanha plural
Dino, que vai concorrer a uma vaga ao Senado, disse que a participação do ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) na campanha como vice de Lula será importante para reforçar a ideia de uma frente ampla para proteger a democracia e também para dar mais peso à gestão econômica.

Segundo ele, que terá um papel mais estadual na campanha de Lula, a ideia é construir um conselho político para que os principais temas sejam debatidos entre os partidos.

“O PSB aprovou o apoio ao Lula e a tendência, e o que nós esperamos, é que o partido seja ouvido cotidianamente”, afirmou.

Para Dino, o programa de governo de Lula tem que ser amplo, com um “modelo de desenvolvimento capaz de gerar prosperidade e a redução das desigualdades”.

Revisão trabalhista
Lula e outros integrantes da campanha têm dado declarações a respeito da revogação da reforma trabalhista. Para Dino, o certo é incluir no programa de governo do petista que haverá uma “revisão”.

“Foi uma reforma ampla, tem pontos que podem ser aproveitados, mas com a precarização não podemos concordar”, disse.

2 pensou em “Efeito eleitoral do Auxílio Brasil para Bolsonaro passou, diz Flávio Dino

  1. Uma qualidade que o nosso, graças a Deus, ex-governador não tem é a de acertar em suas previsões. Salvo engano ele disse à época que a candidatura de Bolsonaro era um balão furado, nunca falou que ele teria contato com os setores extremistas… Com relação ás críticas sobre a atuação do Presidente durante a pandemia, é bom lembrar que o Consórcio Nordeste está aí pra mostrar desvios de recursos encaminhados e, bom lembrar mais ainda que o STF autorizou o controle de pandemia aos governadores e prefeitos.

  2. Flávio Dino fala muita m*rda! PQP! Esse tempo ocioso que tem ele deveria ter utilizado para resolver os problemas do IDH do Maranhão. acho que nem as aulas na UFMA ele deve estar lecionando.

Deixe uma resposta