FUNDEF: Braide assegura R$ 240 milhões para professores da rede municipal

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, anunciou nesta sexta-feira (25), a assinatura do acordo que garante R$ 400 milhões dos precatórios do FUNDEF para a educação municipal. Do total, 60% dos recursos serão destinados exclusivamente para os professores, ou seja, o equivalente a R$ 240 milhões.

“Esta era uma reivindicação antiga dos nossos professores. Lembro da minha luta como deputado federal para assegurar esses recursos e hoje, como prefeito, tenho a felicidade de ter assinado esse acordo que vai possibilitar mais investimentos para a nossa educação. Aproveito para ressaltar e agradecer o grande trabalho da Procuradoria do Município que viabilizou todo esse processo”, destacou o prefeito Eduardo Braide.

O acordo entre a Prefeitura de São Luís e a União Federal foi assinado no dia 15 de março e homologado pela justiça esta semana. No acordo ficou estabelecido que o pagamento dos precatórios se dará em três parcelas, uma a cada ano, da seguinte forma:

1ª parcela: 40% (quarenta por cento);

2ª parcela: 30% (trinta por cento);

3ª parcela: 30% (trinta por cento).

“Quando assumi a prefeitura, foi com o compromisso de reconstruir a nossa educação. E esse tem sido o nosso trabalho todos os dias, valorizando os professores, melhorando as condições das nossas escolas, com atenção especial aos nossos alunos. É um trabalho contínuo e sigo firme na certeza de que estamos no caminho certo”, finalizou o prefeito Eduardo Braide.

1 pensou em “FUNDEF: Braide assegura R$ 240 milhões para professores da rede municipal

  1. A gestão Braide já está há mais de ano, e até agora ele ñ cumpriu a decisão judicial do final de 2020 para que a Semed faça eleições diretas para gestor escolar. Alguns diretores já deram a sua contribuição e deveriam ser substituídos por gente com novas ideias, novos projetos, pois ficar na mesmice não dá certo. Muitos gestores foram nomeados na época de Tadeu Palácio. A Semed sob a atual gestão não consegue acertar em nada. Temos impresso de que ainda estamos no governo de Edivaldo Holanda.

Deixe uma resposta