Lula está livre, Moro não!

Tardiamente, após cinco anos, a injustiça contra o Presidente Lula foi corrigida.

O Ministro Edson Fachin acolheu o Habeas Corpus que a defesa de Lula havia impetrado em novembro de 2020 para reconhecer a incompetência da 13° Vara Federal de Curitiba para julgar as quatro acusações infundadas contra Lula.

Essa injustiça custou 580 dias de cárcere ilegal, custou a vida da sua esposa, perseguição a toda sua família, causou a fraude eleitoral de 2018 que elegeu Bolsonaro e colocou nosso país na contramão do desenvolvimento, com as pessoas morrendo de fome, Covid, sem vacina e sem emprego.

Isto porque os danos causados por Moro, Dallagnol e a turma da lava-jato ultrapassam a esfera pessoal de Lula, foram danos à democracia, tendo em vista que houve uma condução fraudulenta do processo eleitoral de 2018 que retirou o ex-presidente da disputa, abrindo espaço para a eleição de Bolsonaro. Foram danos à Constituição Federal, ao Sistema de Justiça e ao Estado Democrático de Direito tendo em vista que esses agentes do estado se aproveitaram dos instrumentos processuais para a obtenção de poder político e econômico, basta lembrarmos que Moro virou ministro como prêmio pela condenação de Lula e Dallagnol tentou criar uma fundação bilionária.

Segundo dados do Dieese, a lava-jato causou ao Brasil a perda de R$172 bilhões em detrimento de investimentos, quatro vezes mais do que a operação se vangloriava de ter obtido de volta aos cofres públicos com o “combate à corrupção” e fechou 4,4 milhões de postos de trabalho.

Diante de tudo disso, é inegável que Moro e Dallagnol precisam ser responsabilizados por esses atos criminosos.

Por outro lado, a decisão desta segunda-feira abre esperança para que dias melhores cheguem com a possibilidade de Lula, hoje, liderar uma ampla mobilização popular para sairmos da situação caótica da pandemia, conseguirmos a vacinação geral do povo e a possibilidade de disputar as eleições presidenciais em 2022.

O Maranhão tem muita gratidão pelo presidente Lula, a expressiva votação de mais de 73% que o Partido dos Trabalhadores obteve na última eleição presidencial demonstra a força do seu legado de conquistas sociais ao nosso povo.

A decisão do Ministro Edson Fachin abrirá caminho para o reencontro do povo brasileiro com a esperança.

Cricielle Muniz
Membro do Executiva Nacional do PT

1 pensou em “Lula está livre, Moro não!

Deixe uma resposta