Notas Rápidas

Emblema da nova era de impunidade

O escandaloso caso do deputado Josimar de Maranhãozinho, do PL, virou um emblema da onda de impunidade reinante em Brasília, a partir da ofensiva do mundo político e dos tribunais superiores contra a Lava Jato. Embora a investigação tenha obtido provas contundentes contra o deputado, dentre as quais imagens em que ele aparece manuseando rechonchudos maços de dinheiro supostamente provenientes de um esquema de corrupção com verbas de emendas parlamentares, os procedimentos relacionados ao assunto não apenas têm se arrastado no Supremo Tribunal Federal, como o ministro Ricardo Lewandowski, relator do caso, vem negando sistematicamente medidas mais enérgicas contra o deputado. Há meses, Lewandowski já havia rechaçado um pedido para prender Josimar Maranhãozinho e afastá-lo do mandato.

Na semana passada, embora tenha autorizado uma operação de busca e apreensão em endereços de Maranhãozinho e de outros dois deputados suspeitos de participar dos desvios, o ministro negou outro pedido, desta vez para que a ação fosse realizada também no gabinete do parlamentar. A jornalistas, Lewandowski declarou que liberar buscas nas dependências do Congresso Nacional é uma “questão delicada”, por envolver outro poder da República.

Para além do mapeamento de que recursos federais destinados à área de saúde foram parar em empresas de fachada administradas por gente ligada ao próprio Maranhãozinho, a investigação reúne ainda indícios de que parte das verbas é proveniente de um esquema ainda maior, que envolve a compra de emendas de outros congressistas. Estaria em atividade, portanto, uma espécie de mercadão de emendas, como já mostrou Crusoé. Há fartos sinais de que, mesmo com a investigação em curso, o grupo segue operando. Mesmo assim, na nova ordem de Brasília, o deputado e seus parceiros parecem estar longe de sentir o peso de uma punição mais severa. (O Antagonista)

Mudanças no governo Dino

O governador Flávio Dino promoveu mudanças no seu secretariado. Diego Rolim deixou a secretaria de Meio Ambiente do Maranhão (SEMA) e passa a comandar o DETRAN-MA, em substituição ao ex-prefeito de Codó, Francisco Nagib, que deixa o cargo para concorrer ao cargo de deputado estadual. O atual secretário da Casa Civil, Diego Galdino, acumulará a SEMA por enquanto.

Entendimento na CCJ

O deputado Márcio Honaiser disse que até a próxima semana será resolvido o impasse que se instalou na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia. Ele acredita no bom senso dos colegas. É especulado que o deputado Marco Aurélio (PSB) seja o nome de consenso para dirigir a CCJ.

Pedro Lucas otimista

O deputado federal Pedro Lucas declarou que trabalhará para que o União Brasil feche com a pré-candidatura do vice-governador Carlos Brandão ao Governo do Maranhão. Por outro lado, o deputado Juscelino Filho trabalha para levar o partido para o senador Weverton.

PSB filia Brandão e outros nomes

O vice-governador e pré-candidato ao Palácio dos Leões, Carlos Brandão, anunciou que se filiará ao PSB, na próxima quarta-feira(23). Além dele, se filiarão também ao partido a deputada Daniella e o secretário de Infraestrutura, Clayton Noleto.

“Movimento importantíssimo”

O líder do PSB na Câmara, Bira do Pindaré (MA), defendeu a filiação do ex-tucano Geraldo Alckmin ao partido. Alckmin deve assinar sua ficha na próxima quarta-feira (23), em solenidade na Fundação João Mangabeira, braço acadêmico do partido socialista. “Foi um movimento importantíssimo. Para derrotar o bolsonarismo, se faz necessário a união de todo campo democrático”, afirmou o parlamentar a O Antagonista, por meio de mensagem.

Ponderação e cortesia

“Minhas boas vindas ao querido ex-governador Geraldo Alckmin, que anunciou filiação ao PSB. Quando fomos governadores no mesmo período, aprendi a respeitá-lo pela ponderação e cortesia. A tão necessária Frente Ampla contra o extremismo se fortalece, pelo bem do Brasil”, postou o governador Flávio Dino.

Deixe uma resposta