Prefeitura de São Luís e Caema trabalham para corrigir rompimento de trecho da Av. Jerônimo de Albuquerque

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp), em parceria com a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), iniciou uma força-tarefa para solucionar um novo rompimento em trecho da Avenida Jerônimo de Albuquerque, próximo ao Elevado da Cohama, no sentido Vinhais-Cohab, ocorrido na madrugada deste sábado (20), por causa da extrapolação da capacidade vazante da tubulação de esgoto que corta a avenida, mesmo após operação emergencial para solução do primeiro rompimento registrado na última quarta-feira, 17. Enquanto durar a obra, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) fará o disciplinamento para facilitar o tráfego na região.

Desde a madrugada, quando o trecho voltou a ceder, engenheiros e técnicos da Semosp estão no local, juntos de equipes da Caema, responsável pela tubulação que incidiu para ocorrência do rompimento de parte da avenida, com o objetivo de solucionar o problema, que se dará com a construção de uma nova caixa coletora, desta vez na margem lateral – em substituição à antiga, que causou o rompimento e estava localizada no meio da avenida. “A gente vai tirar essa caixa do meio da avenida e jogar para uma área que não volte a gerar esse mesmo transtorno no futuro”, assegurou o titular da Semosp, David Col Debella.

A tubulação de esgoto causadora do rompimento está localizada numa faixa de 7 a 8 metros de profundidade, que corta toda a avenida. No trecho em que rompeu, havia sido observado um desgaste da estrutura, que foi prontamente recuperado, mas não foi suficiente para conter o volume de esgoto carreado por ela, ainda mais intenso com o período chuvoso. “O que conseguimos identificar, após escavação, foi que a caixa não estava mais suportando o volume de esgoto, somado ao volume de água da chuva que, infelizmente, acaba sendo colocado para a mesma tubulação, que acaba sobrecarregando e gerando esse problema”, destacou Col Debella.

De acordo com a Semosp, a força-tarefa para reparação do problema deve durar entre três e cinco dias, que dependerão das condições climáticas e do período de cura (secagem) do concreto utilizado para a construção da nova caixa. “Estamos trazendo uma solução definitiva para o problema, que é abandonar essa tubulação antiga, que passa por debaixo da via como um todo, e chegar com uma tubulação completamente nova, para uma caixa nova. Estamos empenhados em prestar um serviço de qualidade e o mais rápido possível para minimizar os possíveis transtornos à cidade durante esses dias de obras”, enfatizou Col Debella.

Enquanto os reparos do rompimento estiverem em curso, agentes da SMTT fazem o controle do tráfego no local e o isolamento de toda área afetada, para garantir a segurança dos operários e de quem passa pela região. Por ora, o túnel está interditado nas duas vias e somente uma faixa nos dois sentidos da avenida foi liberada. A orientação é para que os motoristas optem por rotas alternativas para evitar transtornos. Uma deve ser pelo Vinhais, e a outra, pelo Recanto dos Vinhais, com destino à Via Expressa.

Deixe uma resposta