PT e PSB fazem terceira reunião sobre federação, mas sem perspectiva de acordo

Representantes de PT, PSB, PCdoB e PV realizam hoje, às 14h, a terceira reunião sobre uma federação partidária de partidos de esquerda. Apesar disso, conforme O Antagonista apurou, integrantes dos quatro partidos não acreditam que desse novo encontro surja um acordo que encerre as discussões sobre o assunto.

Das quatro siglas, o PSB é o que mais resiste em compor um consórcio com o PT. O medo de dirigentes do partido é que a agremiação seja rebaixada a uma espécie de ‘puxadinho do PT’. Por essa razão, como mostramos ontem, o partido vai sugerir uma série de travas para tentar atenuar o poder do PT. O PSB quer, por exemplo, ter direito a veto em relação às principais decisões da federação.

Como a federação partidária impede o lançamento de candidatos distintos pelo mesmo consórcio de partidos, o PSB teme que o PT use esse artifício para inviabilizar a candidatura de Márcio França ao governo do estado de São Paulo. O PT, por sua vez, insiste na candidatura de Fernando Haddad.

Do lado petista, a presidente da sigla, Gleisi Hoffmann, conforme apurou O Antagonista, tem demonstrado desconforto com as exigências cada vez maiores do partido socialista e já há uma ala dentro do PT que defende excluir o PSB da federação de partidos de esquerda. Lula, porém, é contra a retirada do PSB das discussões sobre o tema.

Segundo integrantes dos dois partidos, nem mesmo a decisão do STF de dilatar o prazo para a formalização das federações partidárias, para 31 de maio, vai ajudar a arrefecer os ânimos. Isso porque o PSB exige do PT um ‘sacrifício maior’ para formalizar a federação entre os dois partidos. E esse sacrifício seria justamente desistir da candidatura de Haddad em São Paulo. O Antagonista

Deixe uma resposta