“Sinto-me prestigiada”, diz Eliziane sobre ser vice de Moro; Cidadania não negocia com Podemos

A senadora Eliziane Gama, do Cidadania do Maranhão, disse a O Antagonista que se sente “prestigiada” por ter seu nome ventilado para vice em eventual chapa presidencial encabeçada por Sergio Moro.

“Sinto-me prestigiada pela citação do meu nome e pela postura de se indicar uma mulher para compor chapa presidencial.”

Eliziane, que foi eleita senadora em 2018 na chapa de Flávio Dino, hoje no PSB, acrescentou que “o debate sobre 2022 está em sua fase inicial, envolve muita gente e muitos partidos”. A senadora, que relatou nesta semana a indicação de André Mendonça ao STF, também afirmou que defende “a união de uma candidatura alternativa à polarização entre Lula e Bolsonaro”.

Por enquanto, embora participe da tentativa de construção da chamada Terceira Via, o partido da senadora não sinalizou apoio a Sergio Moro. Na reunião de ontem da executiva nacional, aliás, o Cidadania reforçou a pré-candidatura do senador Alessandro Vieira ao Planalto.

A este site, Vieira quis deixar claro que, “até o momento, não existe nenhuma negociação em andamento entre o Cidadania e o Podemos”.

O senador, porém, disse ser “muito bom” que o nome de Eliziane seja citado e fez elogios à colega:

“A senadora Eliziane é uma grande parlamentar e está apta a ocupar qualquer espaço político, inclusive como candidata a presidente de República.”

No último dia 19, Roberto Freire, presidente do Cidadania, afirmou a O Antagonista que era mais fácil a sigla se aliar ao PSDB do que ao ex-juiz da Lava Jato — releia aqui. Na ocasião, os tucanos ainda não tinham decidido pela pré-candidatura de João Doria, que derrotou Eduardo Leite nas prévias. O Antagonista

Deixe uma resposta