Bolsonaro diz a militares que não será motivador de ‘qualquer ruptura’

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira a oficiais das Forças Armadas que não será “motivador de qualquer ruptura”. O presidente participou de um treinamento comandado pela Marinha em Formosa (GO). O discurso foi feito em um local fechado, sem a presença da imprensa. Durante a noite, o deputado federal Hélio Bolsonaro (PSL-RJ) divulgou em suas redes sociais um vídeo.

Nas últimas semanas, o presidente elevou a tensão com outros poderes, particularmente com o Supremo Tribunal Federal, em razão da polêmica em torno da adoção do voto impresso e da prisão do ex-deputado federal Roberto Jefferson, um dos aliados do presidente.

A oficiais, entretanto, Bolsonaro fez um discurso em que disse que quer tranquilidade e paz. Durante o final de semana, entretanto, o presidente afirmou que irá enviar ao Senado pedido de impeachment contra ministros do Supremo. A aliados, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), já indicou que não dará andamento ao processo, caso seja de fato apresentado. Por outro lado, um grupo de auxiliares tenta demover o presidente da ideia.

— Não existe entre nós um compromisso maior do que aquele de servir à tua pátria, de buscar a normalidade, a tranquilidade, a ponderação. Jamais nós seremos os motivadores de qualquer ruptura ou medidas que tragam intranquilidade para o povo brasileiro — afirmou o presidente.

Bolsonaro, que afirmou em discurso na última sexta-feira que as Forças Armadas funcionam como Poder Moderador no país, afirmou nesta segunda-feira a oiciais que as Forças Armadas garantem e “dão suporte aos três poderes”.

— Esse preparo dos senhores nos orgulha, as Forças Armadas são de todos nós. Elas garantem, dão suporte aos três poderes. Qualquer movimento nosso visa unica e exclusivamente a defesa da pátria — afirmou.

Para os oficiais, Bolsonaro afirmou que o Brasil precisa de paz, tranquilidade e harmonia. O presidente destacou ainda o aspecto democrático do país. Segundo ele, o Brasil deve dar cada vez mais ao mundo a demonstração de que é uma “potência democrática”.

O presidente destacou o trabalho das Forças Armadas e citou também que o país foi convocado novamente para realizar um trabalho humanitário no Haiti, que foi vítima de um terremoto que já matou mais de 1000 pessoas.

— Creio que com isso temos tudo para progredirmos, para crescermos, darmos cada vez mais demonstração apo mundo de como esse país é acima de tudo uma potência democrática — afirmou. O Globo

Deixe uma resposta