Dino sobre Bolsonaro: “Ele só é valente no Brasil, aí chega no outro país, ele obedece direitinho a lei”

Flávio Dino, governador do Maranhão, voltou a rebater as críticas de Jair Bolsonaro após sua passagem pelo Estado em evento na última sexta-feira (21). Na ocasião, o presidente se referiu ao político do PCdoB como “gordinho ditador do Maranhão”, em críticas às restrições sanitárias por causa da pandemia. Dino também lamentou o evento que Bolsonaro participou, no último domingo, no Rio, onde reuniu mais de 10 mil pessoas.

Em entrevista nesta segunda-feira (24) para José Luiz Datena, na Rádio Bandeirantes, Dino vê postura do presidente como “deplorável” e de “carência afetiva” nas recentes manifestações pelo País (ouça na íntegra acima).

“Ele só é valente no Brasil, aí chega no outro país, ele obedece direitinho a lei”, ironizou o govenador maranhense, em referência à viagem do presidente para a posse do novo presidente do Equador, onde ele chegou com máscara ao país.

Dino defendeu a multa dada a Bolsonaro pela vigilância sanitária pela falta de máscara e a promoção de evento público em Açailândia na última sexta, citando o decreto estadual e até federal. Segundo ele, a multa pode variar entre R$ 2 mil e 1,5 milhão.

“Ele é cidadão e tem que cumprir a lei”, disse.

Cepa indiana no Maranhão

Flávio Dino também explicou sobre os primeiros casos confirmados com a variante indiana do coronavírus no Brasil dentre os 23 tripulantes de um navio que saiu da Malásia e chegou ao litoral do Maranhão no último dia 14 de maio. Seis tiveram diagnóstico do coronavírus com a nova cepa, tida como mais contagiosa. Um dos tripulantes está em estado grave na UTI.

O sistema de saúde maranhense monitora 191 pessoas que tiveram contato com os contaminados. Dino confirmou que há um caso suspeito de contágio, que será revelado pelo Instituto Evandro Chagas até esta quarta-feira (26), no que poderia ser o primeiro caso de transmissão direta dessa variante no Brasil.

O governador criticou a falta de atitude do governo federal para articular uma política de testagem em massa em aeroportos e portos por conta da nova variante do coronavírus. Band

Deixe uma resposta