Governo do Maranhão e Anvisa elaboram medidas para identificar casos suspeitos de Covid-19 em portos e aeroportos

Membros da Secretaria de Estado da Saúde (SES) e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reuniram, esta semana, para somar esforços e desenvolver formas de identificar casos suspeitos do novo coronavírus em portos e aeroportos do Maranhão. A ação faz parte do conjunto de medidas que vêm sendo tomadas pelo Governo do Estado para evitar a transmissão da doença no Maranhão. Ações da Avisa também serão fortalecidas com a parceria. O trabalho começará a ser desenvolvido ainda nesta semana.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, destaca a importância da ação. “É mais uma medida que o Governo do Estado vai tomar para minimizar as chances de transmissão do vírus no Maranhão. A proposta é criar uma barreira nas principais portas de entrada do estado, a fim de agilizar a identificação dos casos suspeitos, encaminhá-los para a realização do exame e, nos casos necessários, para o isolamento domiciliar”, diz o secretário.

O trabalho conjunto está sendo organizado e, em parceria com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e com as administradoras dos portos de São Luís, a proposta é realizar uma triagem em local próximo ao desembarque de passageiros. A ideia é avaliar principalmente voos que chegam de locais como São Paulo e Rio de Janeiro, e voos internacionais que tenham feito conexão em aeroportos nacionais.

A parceria vai fortalecer as ações da Anvisa que vem seguindo Norma Técnica que dispõe sobre as medidas sanitárias a serem adotadas em pontos de entrada, frente aos casos do novo coronavírus SARS-CoV-2 (Covid-19). Entre as medidas previstas na nota estão os avisos sonoros em inglês, português e espanhol sobre sinais e sintomas e cuidados básicos, como lavagem regular das mãos, cobertura da boca e nariz ao tossir e espirrar.

“Contribuímos também com o Plano de Contingência do Governo do Estado e mais uma vez vamos estar juntos nesta importante ação. Já estamos seguindo com as fiscalizações nas portas de entrada, mas é importante que as ações sejam integradas e articuladas, a fim de garantir o fortalecimento das mesmas”, ressaltou o coordenador de Vigilância Sanitária de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados da Anvisa no Maranhão, Sidarta Silva.

Deixe uma resposta