Governo do Maranhão processa coronel bolsonarista por embargar obra na Litorânea

Coronel Monteiro e Bolsonaro

Da Crusoé – O governo do Maranhão está processando um coronel do Exército indicado para o posto de superintendente da Secretaria de Patrimônio da União no estado. O militar, segundo o governo local, estaria embargando obras com fins meramente políticos.

O coronel José Ribamar Monteiro, que nas redes sociais costuma gravar vídeos com ataques ao governador Flávio Dino (foto), do PSB, e de apoio a Jair Bolsonaro, foi nomeado pelo presidente da República logo no início do governo, em 19 de fevereiro de 2019. Ele próprio se define como bolsonarista. No Maranhão, o coronel tem colaborado, desde o início de 2020, com a coleta de assinaturas para a criação da Aliança pelo Brasil, o partido idealizado por bolsonaristas para abrigar o presidente.

Na ação ajuizada na 3ª Vara Federal Cível do Maranhão no último dia 7 de julho, o governo estadual sustenta que está sendo impedido pelo coronel de executar os projetos referentes às obras de expansão da Avenida Litorânea, em São Luís.

Os técnicos da SPU chegaram a editar uma portaria autorizando o estado, por meio da Agência Estadual de Mobilidade Urbana, a executar as obras, mas foram desautorizados pelo coronel bolsonarista.

“Toda a estranheza da situação exposta (acerca do embargo por suposta exorbitância de um projeto que a SPU sequer analisou quando da autorização e o embargo apenas próximo de sua conclusão), quando confrontada com a autoridade responsável, descortina, em verdade, efetivo desvio de finalidade do ato administrativo por parte da mesma, evidenciando motivação real movida por mero ânimo de cunho político partidário”, alega o governo de Flávio Dino na ação.

No processo, o governo estadual diz ainda que o coronel tem “farto histórico de críticas, acusações e inclusive com algumas ofensas pessoais ao atual gestor estadual, além de ferrenho defensor do grupo político de base do presidente Jair Bolsonaro, também notório adversário político do atual chefe do Poder Executivo estadual do Maranhão”.

Deixe uma resposta