‘Não aceitamos alegação de fraude’, diz Augusto Aras três dias depois de ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral

Três dias após os novos ataques do presidente Jair Bolsonaro às urnas eletrônicas, o procurador-geral da República Augusto Aras divulgou um vídeo nesta quinta-feira, 21, sem citar o chefe do Executivo, falando em ‘necessidade de distanciamento, independência e harmonia entre os Poderes’.

Publicada no youtube, a gravação é uma coletânea de declarações dadas pelo chefe do Ministério Público Federal a ‘representantes da imprensa estrangeira’ sobre o que o PGR chama de ‘temas de interesse a toda população’.

Antes dos cinco minutos de falas do PGR serem reproduzidas, o vídeo registra que ‘as instituições existem para intermediar e conciliar os sagrados interesses do povo, reduzindo a complexidade das relações entre governantes e governados’.

Em um dos trechos reproduzidos na gravação, Aras afirma: “Não aceitamos alegação de fraude porque temos um sucesso da urna eletrônica há muitos anos. Especialmente no que toca à lisura dos pleitos”.

De acordo com a Procuradoria-Geral da República, o encontro de Aras com os jornalistas de veículos estrangeiros ocorreu no último dia 11 – antes na nova ofensiva de Bolsonaro contra o sistema eleitoral, que causou uma série de repercussões e inclusive ‘repulsa’ dentro do Ministério Público Federal.

O vídeo que registrou a conversa do chefe do MPF com a imprensa foi publicado no canal de Aras no Youtube na tarde desta quinta-feira.

Sobre discurso de ódio, o PGR diz que a ‘polarização no Brasil não é diferente de outros países. “Nós entendemos que a democracia é o movimento dos ‘contrários’ e passa por uma tensão permanente.  Uma democracia se revela mais pujante, mais forte, na medida que ela consegue resistir com suas instituições a essa pressão contínua. Nos temos as nossas instituições funcionando”, afirmou o PGR.

Deixe uma resposta