Othelino Neto critica politização sobre as emendas parlamentares para o Aldenora Bello

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PC do B), descartou qualquer tipo de atraso na liberação dos recursos provenientes de emendas parlamentares destinadas ao Hospital Aldenora Bello, um total de R$ 4,2 milhões. Sobre esse assunto, o parlamentar criticou, em suas redes sociais, a tentativa de alguns grupos em polemizar o trâmite do repasse do montante, que é fruto de um acordo celebrado entre todos os 42 parlamentares para ajudar o hospital a superar a crise financeira que ocasionou a suspensão de alguns serviços aos pacientes em tratamento de câncer.

“É absolutamente inaceitável a politização de um assunto tão sensível como o tratamento de pessoas com câncer”, disse Othelino, manifestando indignação com a abordagem dada à questão.

O presidente da Alema explicou não haver qualquer atraso e esclareceu que, no dia 25 de outubro, a Assembleia Legislativa protocolou ofício junto à Secretaria de Estado da Saúde (SES), sendo que, apenas no último dia 12, a Fundação Antônio Jorge Dino apresentou o projeto para a execução das ações que serão desenvolvidas com o recurso das emendas.

Foi por iniciativa do presidente Othelino Neto   que a Assembleia Legislativa destinou os R$ 4,2 milhões em emendas parlamentares à Fundação Antônio Dino. A Carta Compromisso foi entregue no dia 23 de outubro ao vice-presidente da Fundação, Antônio Dino Tavares. A crise no atendimento do Hospital Aldenora Bello veio à tona em pronunciamento feito pelo deputado Dr. Yglésio.

O documento entregue solicita a destinação de recursos do orçamento do Estado à Fundação Antônio Dino, com a indicação de emendas, no valor de R$ 100 mil, de cada um dos 42 deputados da Casa, para colaborar com a manutenção do atendimento e amenizar a crise por que passa a unidade que é referência no tratamento oncológico no estado.

Othelino Neto ressaltou que a destinação dos recursos é uma forma objetiva de colaborar com a situação e fruto de uma decisão unânime de todos os 42 parlamentares, que se dispuseram a ajudar com suas emendas.

Deixe uma resposta