Prefeito de Rosário é cassado por fraudes em licitação e contratações irregulares na pandemia

A Câmara Municipal de Rosário, em sessão extraordinária nesta quarta-feira (19), cassou o mandato do prefeito Calvet Filho (PSC) e da vice-prefeita, Cláudia Anceles (PT), por acusação de fraudes em licitação e contratações irregulares de empresas durante a pandemia da Covid-19.

A sessão da Câmara durou mais de seis horas e dos 13 vereadores, 9 votaram a favor e 4 contra a cassação.

No lugar do prefeito cassado, assumiu interinamente o presidente da Câmara, Carlos Alberto Serra da Costa, conhecido no meio político como Carlos do Remédio (PCdoB).

A denúncia contra Calvet foi protocolada em 19 de março deste ano, envolvendo uma série de irregularidades político-administrativas.

Calvet teria contratado empresas sem licitação para beneficiar seus aliados durante a pandemia da Covid-19. Essas empresas teriam movimentado mais de R$ 2 milhões. Também há denúncias de que o prefeito teria contratado falsos médicos.

Além disso, o decreto emergencial de calamidade pública, em decorrência da pandemia, elencava as pastas da Saúde, Educação, Meio Ambiente, Infraestrutura e Assistência Social, sendo que houve contratação para uma sexta pasta, a de Administração e Recursos Humanos, chefiada pela irmã do prefeito, Lícia Calvet.

A Câmara Municipal solicitou ao prefeito que enviasse informações sobre despesas e demais procedimentos que justificassem a decretação do estado de emergência no município. Os documentos solicitados nunca chegaram à Câmara.

A Câmara Municipal informou que todo o procedimento de cassação se deu conforme o devido processo legal, obedecendo ao princípio do contraditório e da ampla defesa.

Deixe uma resposta