Lula usou colete à prova de balas em evento que teve explosivo com fezes

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) discursou usando um colete à prova de balas no ato de pré-campanha no Centro do Rio de Janeiro ocorrido na quinta-feira. Apesar da segurança reforçada na área do evento, um homem arremessou um explosivo caseiro com fezes que foi detonado num ponto a cerca de 30 metros do palco principal. O homem foi preso ontem.

Durante o discurso de Lula, era possível observar o colete por baixo da blusa branca usada pelo petista. Uma fonte do PT que estava no evento confirmou ao GLOBO que se tratava de uma proteção balística.

O homem que arremessou o explosivo, André Stefano Dimitriu Alves de Brito, de 55 anos, foi detido em flagrante por crime de explosão e confessou ter arremessado o explosivo. O dispositivo, feito com pavio ligado a uma garrafa PET preenchida com um material similar a fezes humanas, detonou após alguns segundos, espalhando os excrementos perto do público e deixando forte odor. Ninguém ficou ferido.

O ato assustou o público que se concentrava próximo ao palco, no lado direito, nas imediações do Theatro Municipal. Em depoimento à Polícia Civil, o suspeito, identificado como André Stefano Dimitriu Alves de Brito, admitiu que jogou um recipiente com urina e explosivos de pequena proporção, similares aos usados em festas juninas. Ele não fez menção a fezes.

Infiltrado em comício usou adesivos de Lula e Freixo

Preso em flagrante por arremessar uma garrafa com artefato explosivo e fezes durante o comício de Lula, André Stefano Dimitriu Alves de Brito, de 55 anos, utilizou adesivos do PT para se infiltrar na multidão. Ele vestia uma camisa preta de mangas compridas, onde estavam colados os decalques de campanha com as inscrições: “Lula, Freixo, André & Eu”.

De acordo com o registro de ocorrência, André foi identificado após acionar os PMs. Um dos cabos então perguntou sobre seus documentos, e ele disse não possuir, pois teria perdido durante o ato político. Já na viatura, pessoas cercaram o carro afirmando que ele havia jogado uma garrafa que explodiu e querendo linchá-lo. Na delegacia, André confessou o crime, mas não quis prestar depoimento formal.

Na delegacia, André confessou o crime, mas não quis prestar depoimento. Informalmente, ele disse não ter “inclinação política ou ideológica” e que teria realizado o ato como uma forma de protesto a uma alegada polarização que prejudicaria o futuro do Brasil. (O Globo)

2 pensou em “Lula usou colete à prova de balas em evento que teve explosivo com fezes

Deixe uma resposta