“Ter uma candidatura a presidente é uma necessidade do PCdoB”, diz Orlando Silva

Pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, o deputado federal Orlando Silva defende que o PCdoB tenha candidatura à Presidência da República em 2022. “Ter uma candidatura a presidente é uma necessidade do PCdoB”, diz. “Mas, passada a eleição, seria importante redesenhar o sistema político e eleitoral do Brasil.”

Para o deputado, a polarização entre PSDB e PT acabou e hoje o país vive um novo ciclo político. Silva diz que o anterior, iniciado com a redemocratização, acabou com a eleição de Bolsonaro. “Essa disputa PSDB versus PT foi datada e o que vai haver no próximo período é um novo ciclo”.

E, por considerar “que o Brasil vive a renovação de um ciclo político”, ele diz que cabia ao PCdoB abandonar uma aliança história com o PT para lançar uma pré-candidatura a prefeito de São Paulo em primeiro turno. “A nossa decisão corresponde a uma leitura do pais.”

Nascido em Salvador, Orlando Silva mora na capital paulista desde 1992. Foi o primeiro negro a presidir a UNE (União Nacional dos Estudantes), de 1995 e 1997. Deputado federal por São Paulo em segundo mandato, é filiado ao PC do B (Partido Comunista do Brasil) desde 1989. Entre 2013 e 2015, ocupou uma vaga de vereador na Câmara Municipal de São Paulo. Foi ministro do Esporte (2006-2011) nos governos Lula e Dilma (PT). Caiu após ser alvo de denúncias por um suposto esquema de desvios de recursos públicos. A Comissão de Ética Pública da Presidência da República arquivou processo contra ele em 2012, por falta de provas.

Deixe uma resposta