Weverton diz que Dino terá as condições de ouvir o grupo e trazer a unidade: “não haverá imposição”

O senador Weverton Rocha (PDT) afirmou, nesta quarta-feira (14), que não haverá imposição por parte do governador Flávio Dino na escolha do seu sucessor. De acordo com o pedetista, Dino nunca tomou decisões arbitrárias em desacordo com o grupo político que lidera.

“O Flávio não vai impor, fosse assim o Edivaldo não teria sido reeleito. Ele poderia ter um outro candidato, mas ele ouviu os partidos e o grupo”, disse Weverton à rádio Mirante AM.

Weverton lembrou que na eleição de 2018 muitos apostam que ele e a senadora Eliziane Gama não seriam eleitos. “Alguns iluminados falavam que eu e a Eliziane não iríamos pra lugar nenhum, uma vaga já tinha dono e, contra todas as previsões, acabamos vencendo”, assinalou.

O senador pedetista voltou a dizer a decisão do candidato apoiado por Flávio Dino ao governo será feita em grupo e da maneira mais transparente possível, assim como vem ocorrendo desde a eleição de 2012, levando em consideração os mesmos critérios.

“O Flávio terá as condições de ouvir o grupo e trazer a unidade. Se amanhã o Brandão aparecer com as melhores condições, dentro do critério de colegiado partidos, apoios, pesquisas quantitativas e qualitativas, ou seja, chegar lá na frente, se comparar e ele tiver melhor condições que eu ou qualquer outro nome, então da minha parte não terá nenhum problema, irei respeitar a decisão”, pontuou.

Deixe uma resposta