“Bolsonaro quer fazer a ‘guerra das vacinas’, ele só pensa em palanque e guerra”, diz Flávio Dino

“Afinal, o que está valendo?”, foi o questionamento feito pelo governador Flávio Dino (MA) em suas redes sociais, nesta quarta-feira (21), ao indagar sobre o real posicionamento do Governo Federal a respeito das vacinas do coronavírus.

 No dia anterior (20),  uma reunião do ministro da Saúde com os governadores acordou a compra de 46 milhões de doses da Coronavac, vacina da farmacêutica chinesa Sinovac, que será produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. Nesta quarta (21), porém, Bolsonaro afirmou que a vacina não será comprada e insinuou que o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, é traidor.

 “Bolsonaro agora quer fazer a ‘guerra das vacinas’. Só pensa em palanque e guerra. Será que ele não quer jogar War ou videogame com Trump? Enquanto jogasse, ele não atrapalharia os que querem tratar com seriedade os problemas da população”, afirmou Dino por meio de suas redes sociais.

 Flávio Dino afirma que nenhum brasileiro quer uma nova guerra na Federação, mas disse que os governadores irão ao Congresso Nacional e ao Poder Judiciário para garantir o acesso da população a todas as vacinas que forem eficazes e seguras. “Saúde é um bem maior do que disputas ideológicas ou eleitorais”, pontuou o governador do Maranhão.

 Ele disse ainda que o Instituto Butantan não pertence ao governo chinês, e que é, na verdade, um patrimônio do povo brasileiro, fundado há mais de 100 anos. “O Instituto Butantan merece respeito, é um grande fornecedor de vacinas ao Ministério da Saúde. Qual a autoridade de Bolsonaro para tentar desmoralizar uma instituição e seus cientistas?”, indagou Dino.

3 pensou em ““Bolsonaro quer fazer a ‘guerra das vacinas’, ele só pensa em palanque e guerra”, diz Flávio Dino

  1. Assistindo, por inteiro a reportagem e fala do Bolsonaro, chego a conclusão de que o presidente está CERTÍSSIMO. É tudo questão de analisar os fatos: como é que o governo federal irá adquirir pouco mais de 46 milhões de vacinas, oriundas da China sem a prévia certificação ou credenciamento da eficacia ou não de tal vacina?
    O Bolsonaro(em uma das raras vezes) demonstrou consciência e acerto em suas manifestações. Comprar 46 milhões de vacinas sem o prévio aval da ANVISA e Ministério da Saúde, com o risco de trazer efeitos colaterais e até matar essas pessoas seria uma grande irresponsabilidade.
    Agora, se o governador está tão incomodado, porque ele então não vai e toma para ai sim depois passar a todos os brasileiros e maranhenses o resultado?

  2. Flávio Dino acusa as pessoas das manias que ele tem, desta forma ele tenta negar as suas práticas doentias. A forma como ele descreve o presidente, é a maneira que a maioria das pessoas hoje o enxergam. Essa história de popularidade dele alta, parece mais história pra boi dormir…

Deixe uma resposta