Objetivo é imunizar o quanto antes toda população, afirma secretário Carlos Lula sobre vacinação contra Covid-19

O secretário de Estado da Saúde e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Carlos Lula, participou nesta segunda-feira (14) da coletiva de imprensa concedida pela equipe de Governo de São Paulo e pelo Instituto Butantan. Durante a coletiva, foram divulgadas as últimas ações relacionadas às ações de combate à Covid-19 e o secretário Carlos Lula destacou o empenho dos estados na vacinação contra a doença.

“Todos os secretários de Saúde do país têm um único objetivo: imunizar o quanto antes toda a população brasileira. Não é razoável que se aceite qualquer atraso não justificado para não se iniciar prontamente a imunização de todo o país. Todos os secretários de Saúde defendem o Programa Nacional de Imunização [PNI], que é uma conquista sólida da sociedade brasileira e existe desde 1975”, afirmou o presidente do Conass.

Na oportunidade, o Instituto Butantan, anunciou a conclusão dos testes realizados com a vacina CoronaVac, desenvolvida pelo Instituto em parceria com a Sinovac, empresa Chinesa, e destacou o envio do resultado dos testes da vacina à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e ao órgão correspondente da China.

“Essa vacina que o Butantan desenvolve com a Sinovac não é uma vacina apenas para o Brasil, é uma vacina para o mundo. Isso, no bojo das declarações do Governo Chinês que garantiu que essa vacina é um patrimônio mundial, abdicando de direitos patentários ou correspondentes”, destacou o diretor do instituto Butantan, Dimas Covas.

Em sua fala, o secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula, também ressaltou a necessidade de incorporar ao Programa Nacional de Imunização (PNI) todas as vacinas consideradas eficazes e seguras. “O que todos os secretários de Saúde do país sugerem é que haja uma Coordenação Nacional, que deixemos de lado qualquer tipo de disputa política ou animosidade para pensarmos em cuidar das pessoas e que possamos, o quanto antes, incorporar todas as vacinas ao PNI, para que ele possa de fato dar uma resposta”, disse Lula.

O gestor acrescentou que o Conass se coloca como mediador para qualquer tipo de divergência que haja entre o Governo do Estado de São Paulo e o Ministério da Saúde, para que seja iniciada o quanto antes a imunização no Brasil. “O objetivo, afinal de contas, é um só, garantir a imunização de toda a população brasileira ainda em 2021. Menos que isso não é possível, não é razoável e nem aceitável”, enfatizou Carlos Lula.

Deixe uma resposta